Como escolher um bom síndico

Como escolher um bom síndico

No momento de escolher um bom síndico para seu condomínio boa intenção não é suficiente. Isto significa que mesmo que a pessoa pareça ser ótima, ser síndico é uma tarefa que exige dedicação. Um bom síndico é, de fato, um bom adminsitrador. Capaz de lidar com relações sociais, problemas emergenciais, internos, logística, etc. O ideal é possuir uma ciência prévia de como funciona o prédio, bem como as relações entre funcionários e moradores, um certo nível de experiência é desejado.

Nesse sentido, é importante votar com consciência também na eleição de síndico, é o primeiro passo para obter um condomínio organizado e evitar perdas financeiras e desgastes para os proprietários. Lembre-se, votar naquele seu vizinho legal só porque ambos são amigos nem sempre é a melhor ideia.


O candidato ideal

É imprescindível que o escolhido para liderar o prédio possua algumas qualificações, que se mostrarão de grande valia em momentos de crise, como:

  • Conhecimento sobre o condomínio;
  • Conhecimento sobre as necessidades do condomínio;
  • Conhecimento das falhas do local;
  • Tempo e disponibilidade para as funções exercidas;
  • Bom relacionamento com os moradores;
  • Familiaridade com rotinas de administração;
  • Boa vontade;
  • Saber aprender, ouvir, servir e conciliar.

Um bom síndico administra tanto o prédio quanto as relações pessoais. Se o concorrente em questão está em votação para reeleição, evite mantê-lo no cargo apenas por utilidade, avalie criteriosamente a gestão anterior e verifique se há algum interessado que possa acrescentar mais conteúdo a ela.

Além disso, para que a reeleição seja mais eficiente, todos os moradores devem estar cientes das decisões tomadas em Assembléia. Em condomínios os moradores não costumam levar muito a sério essas decisões, e sofrem no futuro por isso.


Gestão

O mais importante na gestão de um bom síndico é não pisar na bola com falsas expectativas, ou seja, ser muito ilusório no momento de criar propostas. Tramites legais e financeiros quase nunca se resolvem facilmente, muitas vezes exigindo algo que o condomínio não foi projetado para suportar. Um plano completo de metas e cronogramas se faz necessário então para organizar e construir uma gestão bem-feita.


O síndico e a administradora

A administradora do condomínio em questão é sempre a melhor aliada do síndico. Ambos devem trabalhar juntos para combinar forças. Juntos, as tarefas a seguir se tornam muito mais descomplicadas:

  • Checklists;
  • Datas de vencimentos;
  • Gerenciamento de conflitos;
  • Gerenciamento de finanças.

Muitos condomínios encontram dificuldade em eleger um síndico interno para gerir o lugar optando por contratar um profissional. Nesses casos, a administradora também deve prover total auxílio, decidindo entre profissionais autônomos ou pessoa jurídica, fazendo toda a parte de contratação, desde a entrevista à efetivação.

A administradora e o síndico possuem atribuições diferentes, mas não deixam de se comunicar nestas ações. A administradora cumpre a função de cogestão, sendo que todas as decisões que ela toma são de responsabilidade do síndico, ele que dá aval e se comunica diretamente com o Gerente, para depois passar as informações completas para os moradores em Assembleia. Os moradores, por sua vez, decidem o que o síndico deve aprovar ou não. É uma via de três mãos, em que todos se ajudam.

Entre em contato com a Pro Domo e torne a tarefa de administrar seu condomínio muito mais fácil, nós fornecemos apoio total ao síndico, bem como clareza em todas as deliberações discutidas.

Comente pelo Facebook

Comentários
0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>