Diferença entre síndico morador e sindico profissional

Diferença entre síndico morador e sindico profissional

A tarefa de ser síndico nunca é fácil. Para tal, é necessário tem um grande senso de administração, bem como saber lidar com relações interpessoais. Em geral, condomínios menores, com menos moradores, aproveitam os próprios recursos para uma diminuição geral de custo. Isto significa ter um síndico-morador, que geralmente se isenta da taxa condominal, mas carrega para si todas as responsabilidades de um síndico contratado.

Muitas vezes, o síndico-morador não tem todas as habilidades necessárias para uma gestão correta, o que pode atrapalhar alguns prédios. Qual será o tipo ideal de síndico para o seu condomínio?

A gestão de condomínios pode ser comparada à gestão de uma cidade. É necessário administrar recursos, ter conhecimentos técnicos e resolver conflitos. Um síndico contratado é sempre mais dedicado à função, isso porque esta é sua ocupação principal, diferente de um síndico-morador, que divide a tarefa com sua vida privada. Em condomínios-clube, aqueles que possuem várias torres, no entanto, isto é bem mais comum e eficiente. Por isso, é possível perceber que são várias as situações a serem analisadas antes de trocar seu síndico-morador por um profissional.

Funções

Um dos papéis principais de um síndico é a capacidade de mediar situações. Um síndico profissional tem a vantagem de não pender para nenhum lado do conflito, isto porque não convive diretamente no local. Isso torna as decisões muito mais democráticas e ele não precisa se indispor com nenhum vizinho.

Um síndico-morador, no entanto, conhece diretamente o empreendimento. Ou seja, por estar diariamente no prédio, ele sabe quais as principais necessidades facilmente, e administrar algo que seja familiar é uma ocupação bem mais simples. Um síndico contratado não tem a mesma função que um zelador, e por isso, passa muito tempo longe do condomínio, necessitando sempre depender de um conselho para tomar decisões que se façam fundamentais, e se ninguém apontar, o problema pode continuar sem resolução.

É fato que um síndico-morador se vê sempre mais comprometido com o trabalho, pois é de interesse pessoa valorizar a própria moradia como um todo, tanto em ambiente quanto nas relações, criando harmonia, mas o principal fator decisivo no momento de saber se este tipo é o ideal é entender se a pessoa escolhida possui as habilidades necessárias, além de não se sentir pressionada a ocupar a função apenas porque não existem mais moradores dispostos.

Nesse sentido, um síndico profissional tende a ter mais experiência no assunto, além de ser imparcial nas relações com prestadores de serviço, o que faz com que as decisões sejam tomadas sempre de acordo com o budget e qualidade. É ele que sabe quais os melhores fornecedores, a administração correta de recursos, legislação e deveres.

Como escolher

Não há uma regra para esta decisão. É interessante sempre convocar uma Assembleia para que os condôminos avaliem se vale a pena decidir por um síndico profissional, pois isto sempre significa um aumento na taxa condominal. Um síndico profissional educa os moradores a não dependerem 24 horas de seu serviço. Muitas vezes o assunto da mudança de um morador para um contratado entra em pauta, pois o morador se sente pressionado pelos outros condôminos, que abusam de sua disponibilidade.

Independente da escolha, para que dê certo é necessário que o síndico possua uma administradora de confiança mediando suas ações. Entre em contato com a Pro Domo hoje mesmo e obtenha assessoria na escolha de seu síndico, além de uma organização de qualidade em seu condomínio.

Comente pelo Facebook

Comentários
0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>